ATIVIDADE IMOBILIÁRIA CONTINUA MODERADA APESAR DA LIGEIRA SUBIDA NAS VENDAS

O mercado continua estável, mas já dá alguns sinais de que a tendência de abrandamento pode estar a reverter-se. As perspetivas quanto às taxas de juro podem ser um dos principais fatores a conter a procura por agora, pelo que, para os agentes inquiridos, não é absolutamente claro se os preços vão descer num futuro próximo. Isso significa que a incerteza deverá manter-se nos próximos meses. O feedback dos inquiridos sugere que os vendedores continuam abertos a negociar e querem chegar a um acordo, resultado de uma abordagem muito mais cautelosa por parte dos compradores, que também se foram tornando mais sensíveis ao preço. Esta situação aponta para uma questão crítica no mercado, nomeadamente a necessidade de os preços das casas serem compatíveis com o poder de compra dos compradores”.

Ricardo Guimarães

Director da Confidencial imobiliário


A economia portuguesa cresceu 0,3% no 3º trimestre, um claro abrandamento face à taxa sólida de 0,6% exibida nos dois trimestres anteriores. Entretanto, aos dados da Comissão Europeia mostram que a confiança dos consumidores na economia enfraqueceu ligeiramente nos últimos meses, alinhando com o contexto de estabilização que o mercado residencial tem vindo a exibir”.

Simon Rubinsohn

Economista Sénior do RICS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *